Friday, January 12, 2018

3 espetáculos no Teatro Bocage



Uma viagem fantástica a alguns dos mais belos contos e cantares tradicionais portugueses: o pinto borrachudo, a cacheirinha e a gaita milagrosa.

Os anfitriões são três alegres e brincalhões saltimbancos que nos transportam para um ambiente de festas populares. Irão rir, cantar e deliciarem-se no reencontro com a nossa divertida Cultura Popular Portuguesa. Um espetáculo divertido, pensado e produzido para escolas e para toda a Família.
Pedra, Papel ou Tesoura – Sábado 13 de Janeiro às 16h00



A alegre história de Portugal em 90 minutos – Sábado 20 de Janeiro às 16h00

Fazendo jus ao espírito aventureiro e heróico de povo português, presente em todos os acontecimentos que culminaram na construção do Reino de Portugal e na sua constituição posterior como País e Estado independente, a Companhia do Teatro Bocage (Lisboa), seleccionou 75 personagens representativos da História de Portugal, num enredo e dinâmica imparáveis. Viriato, D. Afonso Henriques, D. Afonso III, D. Dinis, D. Afonso IV, D. Fernando, D. João I, D. Henrique, D. Duarte, D. João II, D. Sebastião, D. Afonso VI e D. João V são apenas alguns dos muitos heróis da História de Portugal que destacamos.

Um apurado sentido de descoberta, o orgulho de ser Português, uma coragem sem limites, muita determinação no desbravar de horizontes além-mar, na conquista de novas terras e no conhecimento de novos povos, ditam o mote desta divertida comédia, que agrada a público de todas as idades. A não perder!

 King vai nú – Sábados 27 de Janeiro e 3, 10 e 17 de Fevereiro às 16h00

Ele é King - O Rei da Moda! A maior estrela mundial do mundo da moda prepara-se para um grande dia, em que estará com todos os olhares postos em si. Vaidoso e excêntrico, exige à sua assessora uma roupa totalmente nova, original e única para aparecer em grande, perante todos os seus fãs. Dois burlões acidentalmente acabam por saber desta vontade do King e preparam um golpe, disfarçando-se de designers de moda. Trazem um tecido muito especial, que só pode ser visto por pessoas… inteligentes. Com isto, criam um jogo para que cada um se engane a si próprio, não querendo assumir que nada vêem, sob o risco de serem considerados nada inteligentes, ou seja, ignorantes. O dia chega e a roupa especial também. Resta ao King vesti-la, isto, se a conseguir ver.

E tu, será que também vais conseguir ver a nova roupa do King?
Inspirado no clássico conto "O Rei vai nu", de Hans Christian Andersen, recontamos esta história, trazendo-a a um contexto atual, moderno e identificável, mantendo a base original do conto, a qual nos leva à moral desta narrativa.

Teatro Bocage, Lisboa - Portugal - Reservas 91 244 9909

Wednesday, January 10, 2018

Brasil e Portugal

Brasil e Portugal debatem cooperação na área audiovisual

Foto: Acácio Pinheiro
O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, e o presidente do Instituto do Cinema e do Audiovisual de Portugal (ICA), Luís Chaby, discutiram, em reunião nesta terça-feira (9), oportunidades de cooperação cultural entre Brasil e Portugal em projetos audiovisuais. 

Entre os temas debatidos esteve a retomada do Programa CPLP Audiovisual, voltado ao fomento e à produção de conteúdos audiovisuais por meio da implantação de uma rede colaborativa entre países de língua portuguesa.

Outro tema debatido foi a criação de um festival de cinema que reúna produções cinematográficas dos dois países. "Uma semana de festival que poderia ser realizado em duas cidades de cada país, com exibições, por exemplo, em São Paulo, Rio de Janeiro, Lisboa e Porto. Idealmente, poderia ser uma organização privada, mas com Brasil e Portugal na liderança do evento.

 "O Festival de Cinema Francês Varilux, que começou em poucas cidades, hoje se estendeu por muitas outras cidades do Brasil e entrou para o calendário de exibições cinematográficas nacionais", exemplificou, Leitão. 

"Para nós, foi uma reunião muito proveitosa, na qual tivemos a oportunidade de conversarmos sobre projetos em comum entre Brasil e Portugal. Não somente aqueles que envolvem nossos países, mas também as nações ibero-americanas. Não tenho dúvidas de que deste encontro com o ministro Sá Leitão irão render coisas boas, novas ideias, bons projetos", elogiou Chaby. 

Monday, January 08, 2018

cultural chega a 143 municípios

Segundo Ministério da Cultura infraestrutura cultural chega a 143 municípios brasileiros

A infraestrutura cultural se faz cada vez mais presente no cotidiano do cidadão. Um balanço do ano revela que, até o fim de 2017, 143 municípios brasileiros em 23 estados e no Distrito Federal contam com Centros de Artes e Esportes Unificados (CEUs). 

Já são 148 unidades em todo o País, com oferta de programas e ações culturais, práticas esportivas e de lazer, formação e qualificação para o mercado de trabalho, serviços sociassistenciais, políticas de prevenção à violência e de inclusão digital.

Instalados em territórios de alta vulnerabilidade social das cidades brasileiras, as Praças CEUs promovem a cidadania e ampliam o acesso a direitos sociais, empoderando a comunidade local.  As praças contam com biblioteca, cineteatro – com 40, 60 0u 125 lugares -, laboratório multimídia, salas de oficinas, espaços multiuso, Centro de Referência em Assistência Social (CRAS), além de pista de skate. Há três modelos do equipamento, previstos para terrenos com dimensões mínimas de 700 m², 3.000 m² e 7.000m². Os dois CEUs de maiores dimensões contam também com quadra de eventos coberta, playground e pista de caminhada. 

Os Céus, é um programa do governo federal criado em 2010, os Centros de Artes e Esportes Unificados fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) no Eixo Comunidade Cidadã. Cabe ao Ministério da Cultura (MinC) a gestão e a coordenação da implementação desses espaços pelo Brasil.

Saturday, January 06, 2018

Morre escritor Carlos Heitor Cony


 Carlos Heitor Cony morre  aos 91 anos. A morte  ocorreu na noite desta sexta-feira (dia 5). Cony atuou como jornalista nos principais veículos do país e como escritor ocupou a cadeira número 3 da  Academia Brasileira de Letras (ABL) desde 2000.

Premiado, Cony foi o autor de diversos romances, livros de crônicas, coletâneas de contos e novelas para a TV.  Pelos romances "Quase memória", "A Casa do Poeta Trágico", "Romance sem Palavras" ganhou o prêmio Jabuti nos anos de 1996, 1997 e 2000, respectivamente.

O escritor e jornalista estava internado desde dezembro do ano passado e sofreu falência múltipla dos órgãos. O Ministério da Cultura manifesta sinceros sentimentos de pesar à família, amigos, colegas e admiradores de seu trabalhou.

Wednesday, January 03, 2018

Doutor Jivago: clássico relançado pela Cia das Letras

Doutor Jivago, livro adaptado para o cinema, que tornou Boris Pasternak internacionalmente um dos mais lidos no mundo, é relançado pelo Selo Companhia das Letras.

Publicado originalmente em 1957 fora da União Soviética, após ser banido pela censura do Partido Comunista, Doutor Jivago, que só seria lido por seus conterrâneos em 1987 — 27 anos após a morte de seu autor —, continua sendo o maior e mais importante romance da Rússia pós-revolucionária.

Nele, Boris Pasternak traz à luz o drama e a imensidão da Revolução Russa pela história do médico e poeta Iúri Andréievitch Jivago em seu constante esforço de se colocar em consonância com a Revolução. Por seus olhos hesitantes o leitor testemunha a eclosão e as consequências deste que foi um dos eventos mais decisivos do século. Em tempos em que a simples aspiração a uma vida normal é desprovida de qualquer esperança, o amor de Jivago por Lara e sua crença no indivíduo ganham contornos de um ato de resistência.

Seguindo a grande tradição do romance épico russo, Pasternak evoca um período historicamente crucial e nele retraça um panorama completo da sociedade da época. 

Sobre o autor 

asceu em Moscou em 1890. Escreveu um grande número de poesias sob o peso da severa censura da Rússia soviética antes de publicar seu trabalho mais famoso, Doutor Jivago, em 1958. O romance rendeu-lhe o prêmio Nobel de literatura, mas a hostilidade da URSS o forçou a recusar a láurea. Morreu em 1960. (Fonte: Francisco Martins \ Companhia das Letras). 

Livro cortesia: 
Páginas: 616
Preço: 79,90 
Ebook: 39,90