Thursday, January 26, 2017

Antonio Callado: 100 anos do homem que tinha fome de Brasil

Durante sua estada na Europa, Antonio Callado (1917-1997) descobriu uma "tremenda fome de Brasil". 

E essa fome foi tão grande que dedicou toda sua vida a refletir sobre a realidade do país. Sua obra foi permeada pelo interesse em revelar os meandros - muitas vezes obscuros - da vida brasileira. Entre seus livros mais importantes estão Quarup (1967), Bar Don Juan (1971), Reflexos do baile (1976) e Sempreviva (1981), que retratam o Brasil durante o regime militar, do ponto de vista dos opositores. O engajamento político lhe custou caro: foi preso duas vezes, uma em 1964, logo após o golpe militar, e outra em 1968, após o fechamento do Congresso com o AI-5.

 Além de escritor, Callado foi jornalista, biógrafo e teatrólogo. Para celebrar a grandeza de sua obra, a Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB) realiza, nesta quinta (26), uma mesa-redonda com a presença de Tessy Callado e Ana Arruda Callado, respectivamente filha e viúva de Antonio Callado; e os pesquisadores Alcmeno Bastos, Eduardo Jardim e José Almino de Alencar. O evento marca o centenário da data de nascimento de Callado – 26 de janeiro de 1917. Na ocasião, serão apresentados aspectos relevantes da vida e da obra do escritor, que tem o acervo depositado no Arquivo-Museu de Literatura Brasileira da FCRB.

Como jornalista, Callado trabalhou para a BBC de Londres, entre 1941 e 1497, durante a Segunda Guerra Mundial. No regresso ao Brasil, atuou nos jornais O Globo, Jornal do Brasil, Correio de Manhã e na Folha de São Paulo. Pelo Jornal do Brasil, cobriu a Guerra do Vietnã, em 1968. 

A reportagem virou um livro, Vietnã do Norte – Advertência aos agressores. A entrevista realizada por Callado com o ex-governador Miguel Arraes, também durante o período que trabalhava para o Jornal do Brasil, rendeu outra obra literária, Tempo de Arraes – padres e comunistas na revolução sem violência, lançada em 1965. José Almino de Alencar, filho de Arraes, ainda era adolescente quando conheceu Callado, mas as lembranças são vívidas e boas. 

Além do evento na Casa de Rui Barbosa, Ana conta que Callado será homenageado pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, no dia 04 de fevereiro, durante um seminário sobre o Brasil, com direito a exibição do filme Quarup. Deve ser lançado também, ainda esse ano, um documentário sobre o escritor, realizado pela cineasta Emília Silveira. 

Mesa redonda "Centenário de Antonio Callado"
Data: 26/01/2017
Horário: 16h
Local: Sala de Cursos da Fundação Casa de Rui Barbosa 
Endereço: Rua São Clemente, 134; Botafogo, Rio de Janeiro (RJ)
Telefone: (21) 3289-4600
Entrada: gratuita

No comments: