Monday, March 27, 2006

Morte da atriz Ariclê Perez choca amigos

SÃO PAULO, 27 de março - Amigos que trabalharam com a atriz Ariclê Perez ficaram chocados com a morte da atriz, neste domingo, por volta de 18h40, ao cair da janela do escritório de seu apartamento, no 10º andar do edifício Diana, na rua Maranhão, Higienópolis, elegante bairro perto do centro de São Paulo.

Ela estava sozinha em seu apartamento. Aos 62 anos, Ariclê Perez havia acabado de interpretar a mãe do presidente Juscelino Kubitschek, dona Júlia, na segunda parte da minissérie JK. O ator José Wilker, que interpretou Juscelino, estava em Brasila quando soube à noite da morte da colega. "A gente nunca está preparado para receber uma notícia dessas", disse ele, que conhecia a atriz havia 35 anos. "A última vez que a vi foi quando gravamos nossa última cena da série, justamente quando ela morria, no papel de dona Júlia. Foi uma cena de olhares profundos, de muita emoção." Há pouco tempo, Wilker lhe dera de presente um livro de crônicas, 'Como Deixar um Relógio Emocionado', que ela disse ter adorado e escolhido uma personagem para um dia levar ao palco. "Ela estava feliz, tinha planos.

A dramaturga e escritora Maria Adelaide Amaral, que assinou o roteiro da minissérie JK com Alcides Nogueira, era amiga da atriz. Ficou chocada com a notícia da morte. "Não tenho o que falar. Me desculpe. Não consigo falar. Estou ferida de morte", disse, emocionada. A diretora e atriz Bibi Ferreira, amiga de Ariclê, mostrou-se surpresa. "Encontrei Ariclê em fevereiro, ela foi à minha peça (Bibi in Concert 3). Estava alegre." As duas trabalharam em Piaf, na década de 80. Ariclê fazia o papel de Marlene Dietrich. Em 2002, fez Criador e Criatura - O Encontro de Machado e Capitu, também com direção de Bibi.

Tragédia

O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas não chegou a tempo de prestar socorro. A morte chocou moradores e funcionários do prédio. Um sobrinho de Ariclê, cujo nome não foi divulgado, deixou a delegacia de polícia sem falar com a imprensa. Será aberto um inquérito para apurar as circunstâncias da morte. Mas o delegado de plantão, Dodney Martins, disse ter recebido informação do sobrinho da atriz disse que não havia sinais de arrombamento no apartamento e nem foi dada falta de objetos.

A delegada Elizabeth Sato esteve no local e acompanhou o trabalho de remoção do corpo. Segundo a delegada, a atriz não deixou bilhete que pudesse explicar as causas de um provável suicídio; não ligou para nenhum parente e deixou a casa arrumada. O corpo da atriz será velado desde as 6h30 da manhã de hoje no cemitério Gethsemani, na Praça da Ressurreição, no Jardim Colombo, bairro do Morumbi, zona sul da cidade de São Paulo. O enterro acontece às 16 horas, no mesmo cemitério.

Natural de Campinas, Ariclê Perez Rangel iniciou a carreira em 1976, na novela Canção para Isabel, exibida na extinta TV Tupi. Sua primeira participação na Globo foi em Meu Bem, Meu Mal, em 1990. Na emissora fez ainda as novelas Felicidade, Salsa & Merengue e Anjo Mal. Participou ainda das minisséries Memorial de Maria Moura, Os Maias, A Casa das Sete Mulheres e Um Só Coração. [Francisco Martins]

No comments: