Friday, November 04, 2016

Identidade: batuque do pandeiro

Samba de roda, samba de enredo, samba-choro, samba de breque, samba de partido-alto. Para um dos maiores gêneros musicais do Brasil, parte da formação da identidade do País, o que não falta é variedade.

Só no Dicionário da história social do samba (Editora Record), do compositor, pesquisador e escritor Nei Lopes e do historiador Luiz Antônio Simas, há cerca de 50 estilos elencados. As diferentes vertentes se misturam com a cultura das regiões brasileiras e com a própria história do País.

A trajetória do gênero musical e sua influência em todos os cantos do País, além de revelar sua importância histórica, reforça o significado da cultura de diversas nações africanas que, forçadamente, atravessaram o Atlântico para trabalhar, fosse em lavouras, fosse nas minas de pedras preciosas do interior.

Outros batuques

Um dos primeiros registros escritos em que aparece a palavra samba, informa Luís Filipe de Lima, data de 1838 e apareceu na revista 'O Carapuceiro', de Pernambuco, com a menção ao samba d´almocreve. "Era um folguedo do mercador que saía pelo interior", explica o músico.

No final do século 19, diversas manifestações, como confluência de gêneros musicais que chegaram ao Rio de Janeiro com escravos vindos de outras regiões do País, deram surgimento ao samba urbano carioca. 

Por volta da década de 1930, o samba-choro trazia artistas que tocavam samba com sotaque de choro. Já o samba-choro, como um estilo de samba de andamento médio, tem na composição 'Amor de Parceria', de Noel Rosa, é considerada um protótipo desse estilo.

"Solistas, como o próprio Pixinguinha, criavam introduções que soavam como choro", explica Luís Filipe de Lima, ressaltando o papel do samba-choro como "guarda-chuva" para vários outros estilos. Um deles é o samba de breque, com paradas repentinas, nas quais o cantor introduz comentários falados. O primeiro grande sucesso foi 'Acertei no milhar', assinado por Wilson Batista e Geraldo Pereira e lançado pelo cantor Moreira da Silva, em 1940.

O samba-canção, é considerado como "um braço do samba-choro", espécie de samba de andamento lento, melodia romântica e letra sentimental. "É o choro lento que influencia a primeira safra do samba-canção.Tem aqueles que aproxima o samba-canção do bolero. Outro estilo conhecido é o samba de gafieira, modalidade de dança em que o par realiza figurações que se assemelham às do maxixe. O pesquisador Luís Filipe compara o subgênero a um "abrasileiramento do jazz americano".

Ao longo dos anos, surgiram outros estilos, como o samba-rock, que mistura passos de rock, samba e ritmos caribenhos, a partir da década de 1960; e samba-reggae, estilo de samba baiano que surgiu na década de 1980. (Francisco Martins - Especial Formas&Meios). 

No comments: